22
ago
CATEGORIA: Gabbie no Youtube, Viagem

Aventuras na Europa

Você pode encontrar todos os posts da viagem aqui e o post lindo-maravilhoso-perfeito do Harry Potter Studio Tour aqui.

Aaah, que saudades!

17
ago
CATEGORIA: Animais, Vídeos

Cachorros de rua realmente vistos pela primeira vez

O que você faz quando vê um animal de rua? A grande maioria das pessoas nem olha duas vezes e passa reto, não é? Podem ser por mil motivos: achar que pode pegar alguma doença, pulgas, ou só a pressa do dia a dia; mas o importante é que esses animais são quase invisíveis nas cidades.

Então um dois de estudantes chilenos resolveram dar um jeito de fazer com que as pessoas da cidade prestassem atenção nesses animais. Eles amarraram balões coloridos em cada cachorro com dizeres como “me abrace”, “maltrato” e “não me abandone” (esse é pra fazer seu coração despedaçar em mil pedaçinhos).

Na descrição do vídeo, eles descrevem a sua proposta:
“Estou Aqui é uma intervenção urbana que nos chama como sociedade para concientizar sobre a realidade de milhares de animais que moram em nossas cidades, esquecidos e ignorados em um mundo em que a rotina e agitada vida a cidade nos leva a esquecer o quão importantes são os nossos melhores e mais leais amigos.”

É lindo ver a felicidade desses animais só dos estudantes estarem lá colocando os balões deles. Um dos vídeos mais bonitos que vi nos últimos tempos, duvido que seus olhos não pelo menos lacrimejem.


Não custa nada lembrar: não compre, adote. :)

Achei o vídeo aqui.

16
ago
CATEGORIA: Textos, Viagem

Na Europa: Adeus, Londres! Olá, Brasil!

IMG_9990_edit

A viagem estava chegando ao fim, então era hora de fazer as últimas coisas inglesas que podiam ser feitas. Acordei de manhã e fui com a Giu tomar uma café da manhã tipicamente inglês: cogumelo, ovo mexido, torrada, bacon, tomate e, mais importante, chá com leite. A maioria das pessoas que conheço não gostam, mas eu não desgostei. É bem leve, mas achei meio sem graça.

Depois disso eu e a Giu saimos na missão de achar o tal chá da minha mãe. Comprei um desses que é pra você tomar com leite, porque ela pediu chá inglês, e pra mim é isso que é chá inglês.

Então fui pro centro encontrar a Marcela para irmos ver o Big Ben, depois fomos andando até a casa do Primeiro Ministro fazer uma visitinha aos guardinhas. A Marcela perguntou se era verdade que eles não podiam sorrir e ele respondeu com um discreto “no way”. Acho que eles não podem falar também, mas enfim. Do lado dos guardas montados tinha uma placa avisando que os cavalos podiam dar coice ou te morder. De fato um deles quase morteu um bebe que o pai levou para tirar foto. No final, nos despedimos dos guardinhas e eles até acenaram com a cabeça de volta.

Então fomos almoçar em um pub inglês. Lá conhecemos um português que estava trabalhando no bar e nos chamou pra sair depois do expediente dele com os amigos dele. Saimos do pub e fomos encontrar com as amigas da Marcela e acabamos indo em outro pub, da mesma rede do outro que estavamos anteriormente.

Ficamos lá até a chuva passar e voltamos para o pub de antes para encontrar com nosso amigo português. Que frio, meu deus. Esse verão londrino estava glacial. Entramos no pub e ficamos lá bebendo e esperando os amigos dele chegarem.

Quando saimos, começou uma saga para achar algum outro pub aberto. Tudo em Londres fecha muito cedo, especialmente em um terça-feira. Qual foi a solução? Ir para um cassino, porque eles ficam abertos 24h.

Nunca tinha entrado em um cassino na vida. Também nunca tinha apostado, mas eles me ensinaram a jogar blackjack e me deram umas moedinhas, que eu perdi na primeira tentativa. Alias, deu pra ver que o pessoal era bem viciado. Eles começaram com 10 libras, depois ganharam 70 e terminaram a noite sem dinheiro nenhum. Mas devo dizer que foi muito divertido, nunca imaginei que um cassino fosse daquele jeito. Tinha música boa, sofás, parecia uma grande balada (enorme, de 4 andares, alias), mas que você podia apostar.

Voltei pra casa de ônibus noturno, mas não sem antes dormir no ônibus e perder o ponto e ter que pegar outro ônibus pra voltar. No frio.

No dia seguinte eu estava morta. Acordei e fui para o centro me despedir de Londres. Comprei uma torradeira para dar de presente de casamento para a Giu e para agradecer ele ter me recebido e voltei para a casa dela para dar o presente.

Esse também era o dia em que minha mala que tinha comprado na internet deveria chegar. Mas o que aconteceu? Eram 5 da tarde e a mala ainda não tinha chegado, e a essa altura, provavelmente nem ia. A mala não chegou. E o que eu faço agora? Vou viajar amanhã de manhã, não dá pra esperar chegar. Decidi que ia sair para comprar outra, e depois me ver com o site. Estava na metade do caminho quando a Giu me liga dizendo que tinha achado um bilhete deles falando que eles tinham tentado entregar as 13h, mas não tinha ninguém em casa. Mentira, tinha sim, mas a campainha estava com problema e provavelmente não tocou. No bilhete eles davam algumas soluções: mudar o endereço de entrega, pedir para entregar em outro dia, ou ir lá pegar. Minha única solução seria ir lá buscar a mala assim que os correios abrissem no dia seguinte e de lá ir direto para o aeroporto.

Então no dia seguinte tive que acordar as 5:30 da manhã para me arrumar e sair de casa. O lugar para buscar a mala era muito longe e eu ia ter que carregar todas as minhas coisas até lá para depois ir direto para o aeroporto. Os correios abriam as 8, 8:10 eu estava lá toda pendurada de coisas buscando minha mala. Soquei tudo estava carregando dentro da mala nova e parti.

Antes de ir para o aeroporto, fiz uma parada em King’s Cross para dar um alô para a Plataforma 9 ¾ (eu ia ter que ir para a estação de King’s Cross de qualquer jeito para fazer baldeação de linha, só gastei uma passagem a mais de metro para conhecer a estação de trem – trem e metro são estações diferentes, mas no mesmo lugar). Não era bem o que eu esperava. Achei que a plataforma fosse realmente estar entre 9 e 10, mas não. Para ir para as plataformas de verdade você precisa ter o bilhete. A Plataforma 9 ¾ ficava em uma parede aleatória. Tinha uma fila gigante para tirar foto e um fotografo profissional. Você fingia que estava empurrando um carrinho por dentro da parede e podia ir para uma lojinha depois. Tudo coisas que eu já tinha feito de montão no Harry Potter Tour e eu não tinha muito tempo, então só olhei e fui embora para o aeroporto.

Chegando lá encontrei a Marcela e tivemos que fazer tudo correndo. Enfrentar fila de check in, fila de tax back, fila de segurança. Faltavam 15 minutos para nosso embarque encerrar e eu arranjei tempo para gastar minhas últimas moedas no Starbucks e tirar uma foto com um Dalek que estava lá no aeroporto (por que? Não sei).

Pegamos nosso avião de volta para as longas 11 horas de vôo e aqui estou eu, de volta no meu quarto escrevendo isso. Já estou com saudades da Europa, mas todo carnaval tem seu fim.

Página 2 de 41234